Sabor do vento

sexta-feira, fevereiro 25, 2005

Tudo o que já foi

Amar-te-ei
Enquanto as tuas palavras estiverem em mim
Enquanto ainda ouvir as tuas lágrimas a desfazerem-se
Ainda existe um nós
Em tudo o que já foi
Em tudo o que ainda dói
Serei eternamente tua
Até que o meu desejo ganhe novo rosto
Até o meu querer se alimentar de outro corpo
Estarei sempre contigo
Quando o teu silêncio clamar
Quando o teu orgulho já não doer

CPC

terça-feira, fevereiro 22, 2005

Cinco minutos

Cinco minutos. E tu estás aqui. Com certezas, com verdades. Como um mestre que me acalma e ensina que a vida dá voltas. Há dias que sorrimos e outros choramos. Um dia é certo, outro é errado e a vida faz-se de escolhas, de sonhos e vontades. De pessoas e momentos. Do que é complexo, do que é simples. Pões-me perante o mundo e em cinco minutos viajo contigo no tempo perdido em mim, que é igual ao de tantos outros. Nos reflexos de alguém vejo aquilo que não julgava de mais ninguém. Encontro-me nos outros, em todos, em mim e em ti. Cinco minutos. Passaram por nós muitas pessoas, mas nenhuma delas és tu, nenhuma parou para me explicar que amanhã já não estarias aqui. Que tudo é fugaz, que tudo foge. Até mesmo o chão que me sustenta. Numa falsa fragilidade de quem só tem cinco minutos, desabas o teu egoísmo num motivo desenxabido. Evitas os olhos, na hipocrisia de quem sabe mas não diz. Por medo, por comodismo. Faltam-te talvez os cinco minutos de ontem, de anteontem. De todos os que falhaste. E o tempo não pára para eu perceber que o erro é continuar. Que, na verdade, já acabou. Se é que alguma vez começou. Cinco minutos de conversa sem nunca dares voz ao sentimento que te trouxe aqui. Aquele que pretende anular o meu, sem que isso te incomode. E em cinco palavras eu disse-te o que levaste cinco minutos a tentar.

CPC

segunda-feira, janeiro 31, 2005

Frases do Dia

E chamamo-lhes do dia porque a sua validade é vitalícia. Porque em qualquer dia elas fazem sentido. Umas ouço, outras leio em mails ou blogues. Vou as deixando por aqui!

"Nunca deixes aquilo que amas por aquilo que desejas, pois aquilo que desejas te deixará pelo que ama." (mail de sjfn) Ora... nem mais!

"Se a sorte um dia te virar as costas... apalpa-lhe o rabo!" (Pé de Meia, mfc) Linda!!!

"Mas porque é que amar não é só amar?" (Boomerangue, jlp) Pois...

"Bom é bom. Mas melhor é melhor." (somewhere... over the rainbow :P) Alguém dúvida?

"Se sentir uma dor no coração apague a luz... o que os olhos não vêem, o coração não sente." (ouvi algures) Será?!

E por hoje é só!

terça-feira, janeiro 25, 2005

Quando alguém não tem medo de dizer o que sente...

... eu não tenho medo de ouvir. E gosto. Porque é bom saber que sentem a nossa falta, que gostam de nós. Porque isso me dá animo e me faz saber que estou bem, que sou importante. Ou pelo menos que o fui para alguém, nalguma altura. Porque isso me põe um sorriso na cara. Na alma e no espírito. Porque isso me eleva. Alto, bem alto. Porque me põe a olhar o firmamento com alegria. Porque me faz acordar bem disposta. Porque me dá forças. Porque me faz amar e gostar. Sem porquês ou razões. Simplesmente porque gosto. Porque isso me faz sentir. Porque me faz percorrer mais um rumo, mais um estrada sem cansaço. Por gosto. Porque me faz mergulhar em cada palavra tua. Porque me faz entregar a cada vontade, sem receio. A cada sentimento, sem vergonha. Porque isso me naufraga no teu mar. No teu mundo, na tua saudade. Porque eu também tenho saudades tuas. Porque tu também me fazes falta. Amanhã...

CPC

domingo, janeiro 23, 2005

Também não sei, nao tinha título.. outro de Fernando Pessoa

Cheio de Deus,
não temo o que virá,
pois,venha o que vier,
nunca será maior
que a minha alma.

Pablo Neruda

É assim que te quero, amor,
assim, amor, é que eu gosto de ti,
tal como te vestes
e como arranjas
os cabelos e como
a tua boca sorri,
ágil como a água
da fonte sobre as pedras puras,
é assim que te quero, amada,
Ao pão não peço que me ensine,
mas antes que não me falte
em cada dia que passa.
Da luz nada sei, nem donde
vem nem para onde vai,
apenas quero que a luz alumie,
e também não peço à noite explicações,
espero-a e envolve-me,
e assim tu pão e luz
e sombra és.
Chegastes à minha vida
com o que trazias,
feitade luz e pão e sombra, eu te esperava,
e é assim que preciso de ti,
assim que te amo,
e os que amanhã quiserem ouvir
o que não lhes direi, que o leiam aqui
e retrocedam hoje porque é cedo
para tais argumentos.
Amanhã dar-lhes-emos apenas
uma folha da árvore do nosso amor, uma folha
que há-de cair sobre a terra
como se a tivessem produzido os nossos lábios,
como um beijo caído
das nossas alturas invencíveis
para mostrar o fogo e a ternura
de um amor verdadeiro.

sexta-feira, janeiro 21, 2005

Já vai sendo altura!

Já vai sendo altura de ver aqui um texto teu. É verdade que tens apenas 3 dias por semana para o fazer e neste momento a coisa complica e o tempo escassa. Mas este blogue é teu! Nem tudo tem que ser dito em longos textos. Basta por vezes dizer algo. Pouco. Mas sentido. Que dê que pensar. Por isso amigo, tenta porque a primeira ( e única) vez que aqui escreveste a coisa até te saíu bem. Quando a imaginação, a inspiração, ou a vontade te atraiçoarem, cita! Há tanto já dito que nos identifica ou que se identifica connosco. Força...

quinta-feira, janeiro 20, 2005

O que tu querias, sei eu!

Oh amigo, então havia necessidade disso??
De quase partir o braço ao teu amigo, só por isso??
Pois é... o que tu querias, sei eu!!
E nem vale a pena dizer que não. Porque eu sei! O que tu querias.
Francamente, há coisas melhores, maneiras mais soft! Só por isso?
Tu empurras um amigo, só mesmo por isso?
O que tu querias, sei eu!
Querias e nem sabias como. Vai daí empurras o pobre coitado!
Finges que és amigo e toca de o levar ao HGO.
"Ah sabes se a rita está lá... é urgente, não nos podemos demorar."
Tretas!! O que tu querias, sei eu!
Querias ir jantar ao Mc Donalds!!